SETEMBRO AMARELO


Caros leitores,

Habitamos um mundo repleto de coaches e mentores multidisciplinares que nos explicam o sentido da vida. Pelas mídias sociais, revelam existências repletas de significado, independência financeira, corpos vitaminados e rostos harmonizados.

Com maestria indicam os caminhos do sucesso e que cabe exclusivamente a você essa conquista. Super-indivíduos, selfmade men (‘’homens que se formaram sozinhos’’).

Ainda que haja boas intenções, o excesso dessas histórias vencedoras nas mídias está por trás da crescente ansiedade e depressão de jovens e adultos que buscam amparo nesta chupeta virtual. E estudos mostram a direta correlação do aumento de casos depressivos com a ampliação do uso das redes sociais.

Vendo estes tempos estranhos, recordei do psicólogo Viktor Frankl. Judeu que na Segunda Guerra foi prisioneiro por três anos em um campo de concentração nazista.

E em meio a fome, trabalhos forçados e violência, enquanto lutava para sobreviver, também fazia anotações pessoais, posteriormente compiladas no livro ‘’Em busca de Sentido’’, lançado em 1946, logo após a sua libertação.

Entre os tantos ensinamentos, Frankl disse: ‘’Não importa o que esperamos da vida, e sim o que a vida espera de nós’’. Considerando ingênuos os que acreditam ter controle sobre a própria ‘’sorte’’.

A vida trará desafios e o importante é como respondemos a eles. Uma doença, uma perda, uma pandemia. Seja o que for, é provável que algo te atingirá e cabe a nós resistirmos dignamente.

Então, tudo bem se você não é multimilionário, magro e famoso. Sua vida continuará tendo um grande significado ao encarar seus obstáculos e superá-los. Orgulhando-se de como agiu.

Assim, neste setembro amarelo, mês da prevenção da depressão e do suicídio, espero que as palavras do psicólogo Viktor sejam lembradas e divulgadas, nos tornando mais inclusivos e melhores.

Excelente semana,

Abs,

Lucas M.

Comente. Curta.

Compartilhar: